CADASTRE-SE AINDA HOJE E GANHE R$10*

Mauricio Szapiro e Erik Nako,
curadores de vinho e gastronomia

Aproveite os melhores vinhos e produtos gastronômicos do mercado, selecionados por chefs e sommeliers tão apaixonados pela boa mesa como você.


Quero me cadastrar

Já é cadastrado?
Faça seu login

oferta
(11) 3090-6073 / (21) 4042-2446 - Seg. à Sex. das 10h às 19h

Trio Mediterrâneo: Otoñal, Terras de Monforte, Chateau Canteloup

De R$ 169,70 por Preço Exclusivo para cadastrados
CADASTRE-SE

Trio Mediterrâneo: Otoñal, Terras de Monforte, Chateau Canteloup

Rioja, Alentejo e Bordeaux • Diversos países

Influência continental

De R$ 169,70 por



ESTA OFERTA ESTÁ ENCERRADA
Cadastre-se hoje, ganhe R$ 10 de créditos


Com a palavra, o curador:

Todos conhecem o Mediterrâneo como um mar compreendido entre a Europa meridional, a Ásia ocidental e a África setentrional. Além de grande, o Mar Mediterrâneo influencia todo o seu entorno, transformando o clima, as paisagens naturais e, principalmente, os costumes e a cultura do povo residente nessas regiões. Pensando nisso, resolvemos combinar uma seleção de vinhos originários da Espanha, Portugal e França, que sofrem influências, direta e indireta, do Mar Mediterrâneo.   

O vinho Otoñal é composto pelo corte das uvas Garnacha, Mazuelo e Graciano. A produtora Olarra combina técnicas modernas de vinificação com métodos tradicionais de fabricação e cultivo das uvas. As vinhas são cultivadas na sub-região de Rioja Alta, em um diversificado e riquíssimo terroir, caracterizado pela temperatura fria e um clima mediterrânico. É um vinho fácil de beber, elegante, tinto jovem com um estilo mais rústico e com possibilidade de guarda por algum tempo. Com certeza, foi merecedor da medalha que conquistou!

Já o português Terras de Monforte, apesar de ter sido produzido na margem oposta da Península Ibérica, também sofre influências do clima e, acima de tudo, da culinária mediterrânea. O rótulo Terras de Monforte é composto pelo corte de uvas típicas do Alentejo, as variedades autóctones Trincadeira, Alfrocheiro e Aragonez.  É um vinho carnudo, com taninos intensos e muito saboroso, produzido a partir de vinhas velhas com raízes profundas na terra.

Diretamente da França, o Châteaux Canteloup é um típico Bordeaux feito do corte das uvas locais Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon. O clima em Bordeaux é mediterrânico e a proximidade com o oceano faz com que o clima quente de verão seja amenizado pelos ventos oceânicos. Além da influência natural, a França herdou da cultura mediterrânea o hábito culinário, principalmente, através do consumo de pão (trigo), legumes e verduras das saladas, azeitonas, uvas, queijos, nozes e grelhados.

Entre neste clima mediterrâneo e experimente este trio!

Notas de Degustação:

Otoñal Tinto
Sua cor é vermelha com tons violetas. O aroma é intenso e frutado. Na boca confirma-se o frutado, com notas de frutas vermelhas maduras, de baunilha, picante e muito persistente. Saboroso.   

Terras de Monforte
Apresenta a evolução de um bom vinho tinto: rubi escuro com uma nuance granada; no nariz, elegante, uma pelica que fica só como moldura para os aromas amplos de frutas madura, caramelo, chocolate, compota de ameixa. Na boca bom corpo, acidez equilibrada e taninos firmes, que indicam que ainda teremos um bom vinho para beber nos próximos anos. Vale a pena comprar e conferir!

Château Canteloup AOC
Com um reflexo levemente alaranjado que aparece quando se inclina o copo para a avaliação visual. No nariz, apresenta frutas já maduras, mas também é notável um leve aroma de baunilha, com uma capa de pelica. Na boca, é um Bordeaux austero, taninos no lugar, persistente.

Harmonização:

Otoñal Tinto
Acompanha pratos tradicionais espanhóis como Patatas a la Riojana, mas procure experimentar também com uma coleção de tapas, regada com bastante molho condimentado. 

Terras de Monforte
Queijos de ovelha curados. Bacalhau à lagareiro. E outros pratos suculentos típicos da região. 

Château Canteloup AOC
Ideal para se comer com carnes vermelhas e queijos franceses gordurosos.

Erik Nako

... é acima de tudo um glutão. Chef e sócio do bar italiano Prima Bruschetteria, dá aulas na ABS-Rio e faz viagens enológicas pelo mundo há mais de 10 anos.

Detalhes

O que você recebe:
1 garrafa X 750ml Otoñal Tinto 2011
1 garrafa X 750ml Terras de Monforte 2007
1 garrafa X 750ml Château Canteloup AOC 2007

Otoñal Tinto
Composição: 85% Tempranillo, 10% Garnacha, 5% Mazuelo e Graciano
Estilo: Tinto
Teor Alcoolico: 13,5%
Safra: 2011
Pontuação: Medalha de Prata no Decanter World Wine Awards 2012

Terras de Monforte
Composição: Trincadeira, Aragonez e Alfrocheiro
Estilo: Tinto
Teor Alcoolico: 13,5%
Safra: 2007
Envelhecimento: 8 meses em barricas de carvalho

Château Canteloup AOC 2007
Composição: 60% Merlot, 20% Cabernet Franc e 20% Cabernet Sauvignon
Estilo: Tinto
Teor Alcoolico: 12,5%
Safra: 2007

Mais sobre os Produtores:

Bodegas Olarra
Fundada em 1973, a Bodegas Olarra está localizada nos arredores de Logroño, na sub-região de Rioja Alta, exatamente no coração da Denominação de Origem Rioja. Do grupo Olarra fazem parte também as bodegas Ondarre, localizada em Rioja, e Casa Del Valle, em Tierra de Castilla. Para atender a uma produção de tintos, rosés, brancos e um rótulo de espumante, as três bodegas cultivam também as seguintes variedades Tempranillo, Mazuelo, Graciano, Garnacha, Viura.

Vignobles Latorse
Administrada pela terceira geração da família Latorse, a propriedade produz vinhos há mais de 50 anos. As vinhas, que têm entre 25 e 30 anos, compostas predominantemente pelas uvas tintas Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc; e pelas brancas Sémillon e Cabernet Blanc. Além da variedade de vinhos tintos, brancos, e também rosés, a vinícola se situa próximo à Abadia de Sauve Majeure, importante ponto para quem quer iniciar a  aventura no caminho de Santiago da Compostela.

Herdade do Perdigão
Fundada em 1992, a Herdade do Perdigão está localizada em Monforte, sul de Portalegre, região de microclima influenciado diretamente pela Serra de São Mamede. Em 2003, a propriedade foi comprada por Carlos Golçalves, que desde então iniciou uma completa reestruturação e renovação da vinícola. No total são 60 hectares dedicados ao cultivo de uvas autóctones portuguesas e, em menor quantidade, de outras variedades estrangeiras. A vinícola é responsável pela produção dos rótulos Herdade do Perdigão (Reserva e frisante), Terras de Monforte, Vinha do Almo e Villa Romanu.

Outras fontes:

http://www.grupobodegasolarra.com/

http://www.herdadeperdigao.pt/

http://www.latorse.fr/

www.anaimport.com.br