CADASTRE-SE AINDA HOJE E GANHE R$10*

Mauricio Szapiro e Erik Nako,
curadores de vinho e gastronomia

Aproveite os melhores vinhos e produtos gastronômicos do mercado, selecionados por chefs e sommeliers tão apaixonados pela boa mesa como você.


Quero me cadastrar

Já é cadastrado?
Faça seu login

oferta
(11) 3090-6073 / (21) 4042-2446 - Seg. à Sex. das 10h às 19h

NoMU Pasta de baunilha

De R$ 102,50 por Preço Exclusivo para cadastrados
CADASTRE-SE

NoMU Pasta de baunilha

Cape Town • África do Sul

Orquídea comestível

De R$ 102,50 por



ESTA OFERTA ESTÁ ENCERRADA
Cadastre-se hoje, ganhe R$ 10 de créditos


Com a palavra, o Chef:

Você já viu uma baunilha? Já tocou, sentiu o cheiro de uma? Bom, se a resposta for sim, considere-se um privilegiado, pois aquele líquido a que chamam de “essência de baunilha” - que encontramos em todo supermercado -, não passa de um composto quimicamente produzido. Antes de me inserir no universo enogastronômico eu nunca tinha visto uma fava in natura. Ou seja, me causou certa surpresa descobrir que o ingrediente é, na verdade, a fava de uma orquídea! Sim, a baunilha é uma planta, do gênero Vanilla.

Especiaria rara, é originária do México, onde era cultivada pelos astecas e usada para aromatizar uma bebida à base de cacau, o chocolatl, outro “tesouro” deixado por eles na gastronomia do mundo. Descoberta pelos espanhóis no século XVI, a baunilha foi levada para a Europa – junto com o chocolate - a fim de ser cultivada por lá. Mas o que os colonizadores não imaginavam é que a planta necessita de uma polinização natural, feita por uma espécie de abelhas exclusiva do México. Apenas em 1837, foi desenvolvido por um escravo um método de polinização artificial, feita a mão.

Isso aconteceu na ilha de Bourbon, antigo nome da Ilha Reunião, e daí em diante, iniciou-se com êxito o cultivo da especiaria em outros lugares do mundo. Mesmo assim, o cultivo da planta até hoje é muito complicado e demanda um trabalho intensivo: luz intensa, umidade constante, secagem em estufa ou ao sol, bastante fertilizantes. Além disso, a baunilha produz cachos de flores que se abrem apenas uma vez por ano e duram pouquíssimo tempo, às vezes só algumas horas. Algumas dessas flores (não todas, para não sugar a planta) necessitam ser polinizadas para dar origem às favas verdes que contém os famosos grãos de baunilha. Isso explica o alto valor e a raridade do produto.

Por conta de toda essa história, fiquei muito satisfeito ao encontrar a pasta de baunilha NoMU. Com textura bem cremosa – que lembra um gel ou um mel líquido -, a pasta do gênero Bourbon é produzida em Madagascar, a principal produtora mundial da especiaria; e, além do sabor super intenso, possui aqueles pontinhos pretos (as sementes de baunilha) que atestam a qualidade do ingrediente. Além de todas essas vantagens, a prática embalagem estilo “pump” permite um melhor armazenamento e dosagem do produto (com apenas cinco apertadas, você pode aromatizar até um litro de líquido). Por isso, esqueça pequenos frascos de “essência de baunilha” e escolha um produto de verdade. Garanto que vai se surpreender!

Harmonização:

Ótima para ser usada na composição de famosos doces que levam baunilha, como creme brulée, creme de confeiteiro, pavê, cupcakes, e tudo que sua imaginação permitir... 

Erik Nako

... é acima de tudo um glutão. Chef e sócio do bar italiano Prima Bruschetteria, dá aulas na ABS-Rio e faz viagens enológicas pelo mundo há mais de 10 anos.

Detalhes

O que você recebe:
1 embalagem X 100 ml 

Estilo:
Ingrediente 

Composição:
Madagascar Bourbon Vanilla, Glicose, Água Mineral, Glicerina, Xantham Gum, Etanol 

Validade:
4/2014

Mais sobre a NoMU:

Em 2000, Tracy Foulkes e seu marido, Paul Raphaely, criaram a NoMU, localizada em Cape Twon, África do Sul. O nome da marca surgiu a partir de uma ideia de Paul sobre o hábito alimentar vegetariano de Tracy, a palavra NoMU provêm de “No Meat” (sem carne). Posteriormente, o casal descobriu que na língua japonesa, a palavra NoMU também significa “para beber, engolir e saborear”. Apesar de Tracy não ser mais vegetariana, de qualquer forma, a marca ainda preserva o nome como parte de sua essência. Hoje, a NoMU se orgulha de representar comercialmente a África do Sul, adotando como filosofia empresarial um trabalho voltado inteiramente para a sustentabilidade ambiental e social.   

Outras Fontes:
http://www.nomu.co.za/