CADASTRE-SE AINDA HOJE E GANHE R$10*

Mauricio Szapiro e Erik Nako,
curadores de vinho e gastronomia

Aproveite os melhores vinhos e produtos gastronômicos do mercado, selecionados por chefs e sommeliers tão apaixonados pela boa mesa como você.


Quero me cadastrar

Já é cadastrado?
Faça seu login

oferta
(11) 3090-6073 / (21) 4042-2446 - Seg. à Sex. das 10h às 19h

Kit Vale da Judia Colheita Selecionada 2003 e Castelão 2009

De R$ 175,00 por Preço Exclusivo para cadastrados
CADASTRE-SE

Kit Vale da Judia Colheita Selecionada 2003 e Castelão 2009

Península de Setúbal • Portugal

O que é que Setúbal tem?

De R$ 175,00 por



ESTA OFERTA ESTÁ ENCERRADA
Cadastre-se hoje, ganhe R$ 10 de créditos


Com a palavra, o sommelier

Alguns produtores de Champagne, costumam enviar para a Inglaterra edições especiais de seus vinhos, diferentes daquelas que exportam para os demais países. É que o mercado inglês tem predileção por produtos mais evoluídos, com aromas terciários e notas oxidativas: muitos champanhes que, em outras latitudes, seriam classificados como “passados”, na Inglaterra têm público cativo e entusiasmado.

Aqui pelas nossas bandas, a história é completamente diferente. Como novos consumidores que somos, nossa preferência é por produtos jovens e frutados, sem muita complexidade, mas que agradam de imediato pela exuberância e facilidade de beber. Não por acaso, argentinos e chilenos são campeões de venda em nosso país. É bom esclarecer que não há nada de errado nisso, é apenas uma característica de uma grande fatia de público que entrou no mercado do vinho recentemente, vinda provavelmente de outras bebidas de consumo mais fácil e direto.

Corte de Touriga Nacional, Trincadeira, Tinta Miúda, Cabernet Sauvignon e Alicante Bouschet, com estágio de doze meses em carvalho francês e mais três anos em garrafa, o Vale da Judia Colheita Selecionada 2003 é um produto daquele primeiro estilo. Elaborado pela Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, sob a batuta do enólogo Jaime Quindera, é classificado como Vinho Regional Península de Setúbal – até recentemente, Terras do Sado –, região a sudeste de Lisboa, passagem obrigatória para quem vai da capital portuguesa para o Alentejo. 

Não são apenas os quase nove anos de idade que explicam as características evoluídas do vinho. Na verdade, 2003 foi um ano de calor atípico em quase toda a Europa, o que fez com que a maioria dos vinhos amadurecesse de forma mais rápida. Isso fica evidente na tonalidade alaranjada e no nariz com uma palheta aromática envolvendo frutas secas, couro e sous-bois (musgo, champignons, terra molhada), emoldurados pela madeira sólida e bem presente. Mas é na boca que o Vale da Judia surpreende, tanto pelo frescor – bastante incomum numa safra tão quente – quanto pelos taninos vivos e de ótima qualidade.

Quem quiser fugir um pouco do circuito dos vinhos frutados e que agradam ao primeiro gole, tem aqui uma ótima oportunidade, capaz de fornecer experiências sensoriais marcantes, talvez inéditas, que certamente vão ficar no currículo do degustador. Um vinho com tanta personalidade, exige pratos igualmente de peso. Boas sugestões são um pato confit, um pernil de cabrito assado ou um lombo de bacalhau com batatas, cebola e azeitonas. São pratos que exigem ao mesmo tempo solidez e grande maciez, coisas que não faltam ao nosso Vale da Judia.

Para uma experiência ainda mais completa, o Selo Reserva oferece ainda o vinho Vale da Judia Castelão 2009, que meu amigo Mauricio Szapiro descreve muito bem abaixo.

Notas de degustação:

Vale da Judia Castelão 2009

Cor rubi escuro, com aromas de média intensidade de frutos vermelhos, alguma especiaria, notas de café e chocolate. No paladar é fresco e redondinho, muita fruta e taninos bem macios. Final de boca muito agradável.

Vale da Judia Colheita Selecionada 2003

Cor vermelho granada com reflexo alaranjado. No nariz, compotas de frutas maduras, pelica, chocolate e café. Muito amplo e persistente. Na boca, um gosto achocolatado, tem boa acidez, com seus taninos absolutamente redondos.

Harmonização:

Para o tinto castelão um bacalhau a Lagareiro, ou pode pegar um pouco mais pesado: javali ao vinho tinto com vegetais assados e batatas ou ainda contra filé com cogumelos. Para o Colheita Selecionada sugiro uma boa reflexão sobre sua história antes de combiná-lo com comida.

 

Outras impressões

por Mauricio Szapiro

Por que apresentar estes dois vinhos numa só oferta? Para dividir com vocês uma experiência que considerei muito interessante. Uma possibilidade de conhecer o potencial da Cooperativa Santo Isidro de Pegões, que se afirmou como um sério representante das possibilidades de produção de bons vinhos do terroir da região de Setubal, e degustar um vinho da safra 2003, que quase 10 anos depois apresenta toda a elegância de um vinho de muita qualidade. Experiência única para ser aproveitada!

Sobre o Vale da Judia Castelão, já falamos na oferta específica em que o vendemos em separado, quando lembramos porque a uva Castelão tomou o nome de Periquita.

O Vale da Judia Colheita Selecionada 2003 é uma outra história, começando pelas uvas que o compõem, pela vinificação com 10 meses em barrica e 2 anos em garrafa, e pelos seus “cabelos brancos e muita dignidade”, que no caso significa um vinho de cor granada com reflexos alaranjados revelando acidez e taninos bem equilibrados. Deixe-o na taça alguns minutos e vá acompanhando as camadas de aromas que vão aparecendo. 

O Colheita Selecionada é composto pelas variedades Touriga Nacional, Trincadeira, Tinta Miúda, Cabernet Sauvignon, Alicante Bouchet. Dentre as uvas autóctones portuguesas, cada qual contribui com suas características: o poder e a complexidade aromática da Touriga Nacional, o corpo e a elegância da Trincadeira e a coloração e adstringência da Tinta Miúda. As clássicas variedades francesas Cabernet Sauvignon e Alicante Bouchet confere ao vinho, respectivamente, potência de aromas frutados e potencial para envelhecimento. Contando o tempo de guarda a partir do período da safra, este vinho está no ponto certo para consumo imediato. Foram produzidas apenas 4.400 garrafas da safra 2003.

A Península de Setúbal está localizada ao Sul de Lisboa, região também chamada de Costa Azul, pela proximidade com o oceano Atlântico. A região ficou famosa em função do célebre vinho de sobremesa o Moscatel de Setúbal, irresistivelmente doce e fortificado. Inclusive, graças ao Moscatel que Setúbal foi classificada como denominação de origem controlada há mais de cem anos, umas das primeiras D.O de Portugal.

 

 

Celio Alzer

... formou-se no rádio, produzindo e apresentando programas musicais e continua levando a vida numa boa, dando aulas de enologia na ABS Rio, ouvindo jazz e bebendo vinho – porque ninguém é de ferro... 

Detalhes

FRETE GRÁTIS 
Válido para as capitais dos seguintes estados: SP, RJ, MG, ES, GO, DF, RS, SC, PR*


O que você recebe:
1 garrafa X 750ml (Vale da Judia Colheita Selecionada 2003)
2 garrafas X 750ml (Vale da Judia Castelão 2009)

  

Vale da Judia Colheita Selecionada

Estilo: Tinto

Safra: 2003

Composição: Touriga Nacional, Trincadeira, Tinta Miúda, Cabernet Sauvignon, Alicante Bouchet 

Teor alcoólico: 13,5%

Envelhecimento: 10 meses em barricas de carvalho francês e americano, seguido de 2 anos em garrafa.

Tempo de guarda: Previsão de evolução positiva até 10 anos

Premiações:

Medalha de Bronze no International Wine Challenge 2005 - Londres 

Troféu “Les Cidadelles” no concurso “Les Cidadelles du Vin 2005” em Bordeux, França.

Medalha de Prata concurso “International Wine Challenge 2005” na Rússia.

Vale da Judia Castelão 

Estilo: Tinto

Safra: 2009

Composição: 80% Castelão 20% Cabernet Sauvignon, Trincadeira e Aragonez

Teor alcoólico: 13,5%

Envelhecimento: 4 meses em barricas de carvalho francês e americano novos

Tempo de guarda: Previsão de evolução até 7 anos

 

* Atenção: O frete grátis não compreende CEPs localizados em áreas de redespacho

Mais sobre a Cooperativa Santo Isidro de Pegões

“Somos pelo gosto. Somos pela audácia. Por sabores com carácter. Pelo impacto de um sorriso, pela partilha. Pela família e pelos amigos. E por uma mesa com bons vinhos!” Assim se define a Cooperativa Agrícola Santo Isidro de Pegões (CoopPegões), que está por trás dos rótulos Vale da Judia e que representa grande parte das adegas da região. A produtora está localizada exatamente em Pegões, pertinho das cidades de Setúbal e Lisboa. Esta é uma região de solo arenoso e rico em água onde existe um microclima muito especial. O clima mediterrâneo seco, de ventos fortes devido à proximidade com o mar aliado ao solo úmido proporciona vinhos de qualidade excepcional, frutados e de taninos equilibrados.

Outras Fontes:

www.cooppegoes.pt

www.viladearouca.com.br/importados