CADASTRE-SE AINDA HOJE E GANHE R$10*

Mauricio Szapiro e Erik Nako,
curadores de vinho e gastronomia

Aproveite os melhores vinhos e produtos gastronômicos do mercado, selecionados por chefs e sommeliers tão apaixonados pela boa mesa como você.


Quero me cadastrar

Já é cadastrado?
Faça seu login

oferta
(11) 3090-6073 / (21) 4042-2446 - Seg. à Sex. das 10h às 19h

Espumante Maria Valduga Vintage 2006

De R$ 145,00 por Preço Exclusivo para cadastrados
CADASTRE-SE

Espumante Maria Valduga Vintage 2006

Vale dos Vinhedos • Brasil

Homenagem mais do que merecida

De R$ 145,00 por



ESTA OFERTA ESTÁ ENCERRADA
Cadastre-se hoje, ganhe R$ 10 de créditos


Com a palavra, o curador:

Algumas pessoas ainda torcem o nariz para os vinhos brasileiros. Por preconceito ou por desconhecimento da parte dos consumidores, os rótulos nacionais ainda enfrentam uma repulsa no mercado, principalmente, se entrarem em concorrência com vinhos de outros países. Os espumantes foram os primeiros vinhos a quebrarem essa barreira. Hoje eles desfrutam de ótima reputação dentro e fora do Brasil e nosso país vem se firmando como um dos principais produtores mundiais dos borbulhantes.

Essa reputação foi conquistada à base de muito trabalho, aliado a um terroir bem propício à produção da bebida. É claro que o profissionalismo e a seriedade de alguns produtores também contaram bastante na hora de “amadurecer” essa produção.

Apesar de já produzir excelentes espumantes, a vinícola Valduga queria mais, queria produzir um espumante de nível espetacular, assim como os melhores champagnes. Símbolo de uma empresa familiar que cresceu de forma sólida e madura, o Maria Valduga é o que há de melhor em espumantes. 

O nome é uma merecida homenagem à matriarca da família, dona Maria, mãe dos atuais proprietários da Casa Valduga, exímia cozinheira e, junto de Luís, fundadora da vinícola. Para fazer jus ao nome da homenageada, elaborou-se este espumante da mesma maneira que os melhores champagnes. Começa-se pela safra 2006, ano excepcional no Vale dos Vinhedos, e segue-se com a segunda fermentação segundo o método champenoise. O tempo de autólise é de 48 meses, aumentando a complexidade aromática e tornando o perlage muito fino e elegante. Este tempo é até mais longo que muitos champagnes. 

Até os que estão acostumados a beber champagnes irão se surpreender com a elegância e complexidade deste vintage nacional feito com o tradicional corte de chardonnay e pinot noir. Um vinho imponente, que nos proporciona uma experiência sublime e que não deve ser desperdiçada. 

Notas de degustação:

É capaz da gente se distrair com o lindo perlage deste espumante, e a temperatura subir...

No nariz, frutas secas, pão torrado e cítricos. Na boca, volumoso, elegante, boa acidez; uma delicia! Aposte no Maria Valduga numa degustação às cegas com os Champagnes de amigos e adivinhe quem surpreenderá?

Harmonização:

Harmoniza bem com entradinhas e pratos de peixe e frango mais consistentes. Se quiser também só brindar e bebericar, é uma excelente escolha.

Cristiano Lanna

... vive entre livros, panelas e taças. Depois de se formar em engenharia, o chef se entregou de vez a paixão pela gastronomia e aos poucos foi estendendo seus conhecimentos para mundo dos vinhos. Com toda essa experiência, se tornou chef e sócio do bar italiano Prima Bruschetteria e dá aulas na ABS-Rio.

Detalhes

O que você recebe:
1 garrafa X 750ml 

Estilo:
Brut 

Método:
Tradicional (Champenoise) 

Safra:
2006 

Tempo de autólise:
48 meses

Composição:
80% Chardonnay e 20% Pinot Noir 

Teor Alcoolico:
13% 

Temperatura de serviço:
6°-8°C

Mais sobre a Casa Valduga:

A família Valduga chegou ao Brasil no final do século XIX, vinda da cidade de Rovereto, na Itália. Em 1875, foram plantadas as primeiras parreiras na região que hoje é conhecida como Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul. A Casa Valduga sempre se dedicou à elaboração de espumantes, tornando-se uma das primeiras vinícolas brasileiras a dominar o método champenoise de vinificação. Hoje, a vinícola é comandada pelos irmãos Erielso, Juarez e João Valduga, que continuam a transmitir a paixão pela cultura do vinho a seus descendentes.

Outras Fontes:

http://www.casavalduga.com.br/Home.php