CADASTRE-SE AINDA HOJE E GANHE R$10*

Mauricio Szapiro e Erik Nako,
curadores de vinho e gastronomia

Aproveite os melhores vinhos e produtos gastronômicos do mercado, selecionados por chefs e sommeliers tão apaixonados pela boa mesa como você.


Quero me cadastrar

Já é cadastrado?
Faça seu login

oferta
(11) 3090-6073 / (21) 4042-2446 - Seg. à Sex. das 10h às 19h

Enamore

De R$ 149,00 por Preço Exclusivo para cadastrados
CADASTRE-SE

Enamore

Mendoza • Argentina

Um argentino que se apaixonou em Veneza

De R$ 149,00 por



ESTA OFERTA ESTÁ ENCERRADA
Cadastre-se hoje, ganhe R$ 10 de créditos


Com a palavra, o curador:

Já tinha ouvido falar de um “Amarone da Argentina” e resolvi conferir. Afinal, a famosa técnica de vinificação de appassimento usada no Vêneto há séculos e que resulta nos apreciados Amarones, em princípio, não me parecia reprodutível em outro local. Em poucas palavras, a técnica consiste em deixar que as uvas sequem parcialmente antes de iniciar a fermentação, isto é, antes de começar a transformação do seu açúcar, já mais concentrado, em álcool.

A ocasião não poderia ser mais oportuna. Ouvi a descrição do processo pelo próprio proprietário da vinícola argentina Renacer, em uma degustação de seus vinhos promovida pela “Vinhos do Mundo” no Quadrifólio, um dos locais mais belos do Rio, com um cardápio que não faria nada feio no nordeste italiano. Foi onde fiquei sabendo da associação entre a Allegrini, uma das mais afamadas produtoras de Amarone no Vêneto, e a Renacer, que resultou - sim! - num vinho com personalidade argentina e DNA italiano. O enólogo que acompanha a vinificação é o mesmo que elabora os vinhos da Allegrini. As uvas utilizadas, no caso italiano, são a Corvina, Rondinella e Molinara; na Argentina, a artista principal é a Malbec, acompanhada pela Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Syrah e Bonarda.

Realmente, temos que nos regozijar por estarmos vivendo esses tempos em que o aperfeiçoamento da enologia permite produzir um vinho como este!

Notas de degustação:
Rubi profundo, com aromas amplos de frutas maduras, café, chocolate e alcaçuz. Na boca, bem estruturado, elegante, com taninos redondos e boa acidez. Deixa no final aquele amargorzinho torrado que faz a festa dos apreciadores do Amarone.

Harmonização:
Tem tudo para acompanhar comidas estruturadas, como carnes, molhos ou queijos fortes.

Mauricio Szapiro

... é engenheiro, enófilo e entusiasta. Há mais de 10 anos é membro da ABS-Rio, atua como sommelier, modera grupos de degustação e é autor do “Momentos Divinos”, caderno de anotações e memórias enológicas. Não satisfeito, segue adiante em busca de novos sabores e experiências.

Detalhes

O que você recebe:
1 garrafa X 750ml

Estilo: 
Tinto

Safra: 
2010

Composição:
62% Malbec, 11% Cabernet Franc, 14% Cabernet Sauvignon, 4% Syrah e 9 % Bonarda 

Teor alcoólico:
 14,5%

Envelhecimento: 
12 meses em barricas de carvalho francês novas

Mais sobre os produtores:

Renacer: 

A vinícola foi construída em 2004, em Perdriel, aos pés da Cordilheira dos Andes, na região de Mendoza, Argentina. A propriedade combina uma arquitetura clássica inspirada nas construções da Toscana, com traços modernos e bem definidos. É equipada com o que existe de mais moderno em tecnologia, como por exemplo: tanques de aço, com capacidade para 550 mil litros, e tanques de cimento de 300 mil litros, todos conectados com um moderno sistema computadorizado para controle da temperatura. As vinhas ocupam uma área de 29 hectares, prevalecendo o cultivo da variedade Malbec.

Allegrini: 

A história da vinícola italiana começou ainda no século XVI, com os primeiros membros da família Allegrini, que viviam da cultura da vinha e do vinho na região ocidental de Veneza. A criação da empresa Allegrini ocorreu no séc. XX, graças a Giovanni Allegrini, homem simples que solidificou a marca, transformando-a em uma importante empresa agrícola italiana. Desde então, os vinhos Allegrini ultrapassaram os limites da Itália, tornando-se referência principalmente na produção dos tintos Valpolicella, “filhos modernos dos tempos antigos”. Hoje, o território totaliza 100 hectares de vinhas. 

Outras Fontes:

www.bodegarenacer.com.ar

www.vinhosdomundo.com.br