CADASTRE-SE AINDA HOJE E GANHE R$10*

Mauricio Szapiro e Erik Nako,
curadores de vinho e gastronomia

Aproveite os melhores vinhos e produtos gastronômicos do mercado, selecionados por chefs e sommeliers tão apaixonados pela boa mesa como você.


Quero me cadastrar

Já é cadastrado?
Faça seu login

oferta
(11) 3090-6073 / (21) 4042-2446 - Seg. à Sex. das 10h às 19h

Duo Amadeu: Brut e Rosé Brut

De R$ 109,00 por Preço Exclusivo para cadastrados
CADASTRE-SE

Duo Amadeu: Brut e Rosé Brut

Pinto Bandeira, Serra Gaúcha • Brasil

Ama a Deus

De R$ 109,00 por



ESTA OFERTA ESTÁ ENCERRADA
Cadastre-se hoje, ganhe R$ 10 de créditos


Com a palavra, a sommelière:

A Cave Amadeu é uma linha de espumantes da Família Geisse, que utiliza apenas uvas produzidas por pequenos produtores vizinhos à vinícola Geisse, situada em Pinto Bandeira, na Serra Gaúcha. Na década de 1970, a região foi a principal aposta de Mário Geisse para produzir espumantes com grande qualidade, 100% brasileiros. Não à toa, em 2012, Pinto Bandeira finalmente foi reconhecida como a segunda Indicação Geográfica Brasileira (a primeira foi o Vale dos Vinhedos, em 2002). Hoje, Mário supervisiona e treina os pequenos produtores da região, contribuindo assim com o desenvolvimento da viticultura local.    

O município de Pinto Bandeira apresenta boa amplitude térmica, prevalecendo temperaturas quentes durante os dias, e frias ao longo das noites. Isso beneficia a viticultura, em função do “stress hídrico” (pouca água) das parreiras, resultando em uvas com maior caráter, ou seja, maior concentração de fruta e corpo. Além do clima, o município está situado a uma altitude que varia de 200 a 700 metros acima do nível do mar. Essas características tornam Pinto Bandeira um lugar favorável para o cultivo das variedades Chardonnay e Pinot Noir. 

Assim como acontece nos rótulos Cave Geisse, o cultivo das uvas do Cave Amadeu dispensam a utilização de agrotóxicos, ou qualquer outro aditivo químico industrial. Pensando em eliminar as pragas muito comuns que assolam os vinhedos, Mário Geisse utiliza o sistema TPC (Thermal Pest Control), equipamento desenvolvido no Chile que produz jatos de vento a alta velocidade e com temperatura aproximada de 130°C. Isso fortalece o sistema de autodefesa das parreiras, combatendo naturalmente a proliferação de doenças e, consequentemente, resultando em uvas de melhor qualidade com o dobro de resveratrol (antioxidante natural).     

Notas de degustação:

Cave Amadeu Brut – Cor amarelo palha com perlage fina. É persistente no nariz e mistura aromas de frutas maduras com notas florais. Possui equilíbrio entre acidez e álcool e deixa na boca uma sensação macia. Sua persistência é longa, com boa acidez, apresentando frutas secas e final agradável.

Cave Amadeu Rosé Brut - Apresenta uma bela coloração cereja clara, com excelente perlage. Boa intensidade aromática lembrando frutas vermelhas, como morango. No paladar, apresenta uma refrescante acidez com bom volume e persistência em boca, agradável e versátil para comida.

Harmonização:

Para o Amadeu Brut, pode-se acompanhar ostras, foie gras e pratos feitos a base de peixe e carnes brancas. Já o Rosé, para quem gosta de comida japonesa, vai bem com sashimi de salmão, ou até mesmo um salmão assado.

Lolô Riccobene

... é sommelière formada na The Wine School, escola internacional de sommeliers da Jancis Robinson. Há mais de quatro anos dedica-se à enogastronomia, setor pelo qual é apaixonada e em que trabalha por prazer, como costuma dizer.  

Detalhes

O que você recebe:
1 garrafa X 750ml Cave Amadeu Rosé Brut
1 garrafa X 750ml Cave Amadeu Brut

Cave Amadeu Rosé Brut
Método: Champenoise (tradicional)
Composição: 80% Chardonnay e 20% Pinot Noir
Teor Alcoolico: 12%
Fermentação: 120 dias
Tempo de Autólise: Mínimo de 18 meses

Cave Amadeu Brut
Método: Champenoise (tradicional)
Composição: 100% Pinot Noir
Teor Alcoolico: 12%
Fermentação: 120 dias
Tempo de Autólise: Mínimo de 18 meses

Mais sobre Mario Geisse:

Nascido em uma região produtora de uvas para pisco, ao norte de Santiago, no Chile, Mario Geisse teve uma relação com o vinho desde cedo. Tradicional do campo, em 1971, foi trabalhar com agricultores e cooperativas e, dois anos mais tarde, foi contratado pela vinícola Manquehue. Já experiente no ramo aos 25 anos, Geisse foi chamado pela Chandon no início das atividades da vinícola no Brasil - em 1977 - e se entusiasmou com a possibilidade de produzir espumantes na Serra Gaúcha. Hoje, a Cave Geisse é um dos grandes nomes brasileiros desse tipo de vinho. Além de fundador da casa que leva seu nome, Geisse é ainda enólogo da Casa Silva, vinícola chilena localizada em San Fernando, ao sul de Santiago.

Outras fontes:

http://www.cavegeisse.com.br/

http://www.amadeu.com.br/