CADASTRE-SE AINDA HOJE E GANHE R$10*

Mauricio Szapiro e Erik Nako,
curadores de vinho e gastronomia

Aproveite os melhores vinhos e produtos gastronômicos do mercado, selecionados por chefs e sommeliers tão apaixonados pela boa mesa como você.


Quero me cadastrar

Já é cadastrado?
Faça seu login

oferta
(11) 3090-6073 / (21) 4042-2446 - Seg. à Sex. das 10h às 19h

Duelo de Malbecs: Punto Final + Casa Silva Reserva

De R$ 99,00 por Preço Exclusivo para cadastrados
CADASTRE-SE

Duelo de Malbecs: Punto Final + Casa Silva Reserva

Mendoza e Valle del Colchagua • Chile e Argentina

Chile vs Argentina: uma nova disputa

De R$ 99,00 por



ESTA OFERTA ESTÁ ENCERRADA
Cadastre-se hoje, ganhe R$ 10 de créditos


Com a palavra, o curador:

Apesar de sua origem francesa, a uva Malbec adaptou-se muito bem ao Novo Mundo. Tendo encontrado na Argentina, principalmente em Mendoza, um terroir apropriado, ela tornou-se a uva mais famosa dos nossos hermanos. Os vinhos feitos com essa variedade são fáceis de beber, bons de harmonizar com comidas diversas e se encontram em quase todos os cardápios da maioria dos restaurantes portenhos.

Já o Chile, mais conhecido como “o novo lar da Carmenère”, agora começa a mostrar ao vizinho platino que possui também um excelente terroir e grande potencial na elaboração de vinhos de Malbec. Por isso, resolvemos propor esse duo de Malbecs fortes e encorpados, do Chile e da Argentina, para você degustar e tirar suas próprias conclusões sobre qual é o melhor (só não vale manter a rixa Brasil x Argentina na disputa).

Representando a Argentina, temos o Punto Final Etiqueta Preta, da Bodega Renacer. A vinícola se vale da diversidade de solos na região de Mendoza para produzir estilos bem diferentes de vinhos a partir da Malbec. Esse Etiqueta Preta é produzido com uvas de vinhedos com mais de 50 anos, em Medrano (600 metros de altitude), Lujan de Cujo (900 metros) e Vale do Uco (1.100 metros). Ao passar rapidamente por barrica, ele leva um suave toque de carvalho francês para dar um pouco mais de complexidade. Na boca, encontramos sabor de frutas frescas, quase maduras, com grande presença de taninos.

Do outro lado, defendendo o Chile, apresentamos o Casa Silva Reserva Malbec, cujo enólogo é o famoso e experiente Mario Geisse. O próprio afirma que seu objetivo era produzir um Malbec “diferente”. E é o que realmente sentimos nesse rótulo: uma nota vegetal diferente dos outros Malbecs frutados do Novo Mundo.

E aí, já fez suas apostas?

Notas de Degustação:

Punto Final Malbec Etiqueta Preta 2010
Rubi com reflexos violáceos, aromas de frutas vermelhas e especiarias, cravo principalmente. Na boca, elegante, com taninos resolvidos, equilibrado e leve nota de madeira.

Casa Silva Reserva Malbec 2010
Rubi com reflexo violáceo. Nariz com os característicos aromas chilenos vegetais e balsâmicos, além de notas de chocolate, café, leve baunilha. Tem médio corpo, é bem equilibrado, deixando a boca enxuta no final.

Harmonização:

Punto Final Malbec Etiqueta Preta 2010
Carnes estruturadas argentinas, cozidos, e que tal empanadas de lingüiça ou de carne?

Casa Silva Reserva Malbec 2010
Cabrito assado, um leitão também iria bem...

Mauricio Szapiro

... é engenheiro, enófilo e entusiasta. Há mais de 10 anos é membro da ABS-Rio, atua como sommelier, modera grupos de degustação e é autor do “Momentos Divinos”, caderno de anotações e memórias enológicas. Não satisfeito, segue adiante em busca de novos sabores e experiências.

Detalhes

O que você recebe:
1 garrafa x 750ml de Punto Final Malbec Etiqueta Preta 
1 garrafa x 750ml de Casa Silva Malbec Reserva

Punto Final Malbec Etiqueta Preta
Composição: 100% Malbec
Estilo: Tinto

Teor Alcoolico: 14%
Safra: 2010
Envelhecimento: Tanques de aço inox e barricas de carvalho francês
Premiações: 89 ST (Stephen Tanzer); 88 WE (Wine Enthusiast);

Casa Silva Malbec Reserva
Composição: 100% Malbec
Estilo: Tinto
Teor Alcoolico: 13,5%
Safra: 2010
Envelhecimento: 50% em barricas de carvalho francês durante 6 meses
Premiações: 86 RP (Robert Parker) 

Mais sobre os produtores:

Casa Silva
A Casa Silva tem origens francesas, de onde veio seu fundador, Emile Bouchon, que partiu de Bordeaux em busca de um perfeito terroir chileno. Emile Bouchon criou o que viria a ser a mais antiga adega do Vale do Colchagua, mas foi somente na quarta geração da família, em 1997, que Mario Pablo Silva convenceu seu pai a engarrafar e vender os excelentes vinhos produzidos na vinícola sob sua própria marca que passou a se chamar Casa Silva. Hoje, a empresa continua sendo fundamentalmente familiar e tem como objetivo ser líder em pioneirismo e inovação na produção de vinhos chilenos. A Casa Silva possui vinhedos em Angostura, Lolol e Los Lingues e tem como enólogo o famoso Mario Geisse, também produtor dos espumantes da Cave Geisse, no Brasil. Geisse já foi chamado de “o mestre da Carménère” e é ele quem comanda a produção, estudando as melhores condições do terroir para cada uva.

Bodega Renacer
A vinícola foi construída em 2004, em Perdriel, aos pés da Cordilheira dos Andes, na região de Mendoza, Argentina. A propriedade combina uma arquitetura clássica inspirada nas construções da Toscana, com traços modernos e bem definidos. Renacer é equipada com o que existe de mais moderno em tecnologia, como por exemplo: tanques de aço com capacidade para 550 mil litros e tanques de cimento de 300 mil litros, todos conectados com um moderno sistema computadorizado para controle da temperatura. As vinhas ocupam uma área de 29 hectares, prevalecendo o cultivo da variedade Malbec.

Outras Fontes:

www.casasilva.cl

www.vinhosdomundo.com.br

www.bodegarenacer.com.ar