CADASTRE-SE AINDA HOJE E GANHE R$10*

Mauricio Szapiro e Erik Nako,
curadores de vinho e gastronomia

Aproveite os melhores vinhos e produtos gastronômicos do mercado, selecionados por chefs e sommeliers tão apaixonados pela boa mesa como você.


Quero me cadastrar

Já é cadastrado?
Faça seu login

oferta
(11) 3090-6073 / (21) 4042-2446 - Seg. à Sex. das 10h às 19h

Colinas Branco

De R$ 70,00 por Preço Exclusivo para cadastrados
CADASTRE-SE

Colinas Branco

Bairrada • Portugal

Um branco de dar água na boca

De R$ 70,00 por



ESTA OFERTA ESTÁ ENCERRADA
Cadastre-se hoje, ganhe R$ 10 de créditos


Com a palavra, o sommelier:

Portugal é um autêntico país vinícola, como registra Francisco Esteves Gonçalves, no título de seu livro, publicado em 1983. Ou “um vinhedo à beira-mar plantado”, como prefere Saul Galvão em seu “Tintos e Brancos”. As duas imagens são perfeitas, porque a videira está em todo lugar, convivendo com outras culturas, como parte indissolúvel da vida lusitana.

A Bairrada não é das maiores produtoras de vinhos de Portugal: Alentejo, Vinhos Verdes e Douro, por exemplo, têm uma produção muito maior; nem está entre as regiões vinícolas mais familiares ao consumidor brasileiro: todas as citadas acima são mais conhecidas. Na verdade, a Bairrada é muito mais famosa pelos leitões assados do que por seus vinhos. Quem já provou um porquinho crocante do Pedro dos Leitões ou de qualquer uma das dezenas de casas especializadas nessa iguaria, sabe bem do que estou falando.

Mas a Bairrada é vinícola também, ó pá, e quem estiver disposto a sair do circuito mais conhecido dos vinhos portugueses tem aqui uma boa oportunidade de experimentar novos sabores. O Colinas branco 2009 já chega inovando: ao lado da tradicional casta Arinto, tem também a presença da francesa – e internacional – Chardonnay. Sem querer adivinhar as intenções do enólogo, parece claro que ele pretendeu trazer para seu produto o que cada uma dessas uvas tem de melhor: a estrutura da Chardonnay, a acidez, os aromas florais e cítricos da Arinto.

Notas de Degustação:

Tudo isso está aqui neste vinho, de uma tonalidade palha bem clara (outra característica daquelas variedades). O nariz, como se esperava, exibe grande frescor, com predominância de cítricos, grapefruit e maçã verde, ao lado de agradáveis notas de flores brancas. A acidez é bastante alta, o que se nota pela salivação abundante.

Harmonização:

Vinhos dessa natureza remetem de imediato para produtos com alto teor de gordura e/ou muito aromáticos. Por isso, as sugestões de harmonização incluem automaticamente ostras cruas, sardinha grelhada e queijo de cabra fresco. Mas os peixes e frutos do mar em geral – especialmente em preparações mais simples, sem grande cremosidade – também serão valorizados pelo este branco da Bairrada. Experimente também com ceviche (de peixe ou de camarão), prato que tem tudo a ver com as temperaturas altas desta época.

Celio Alzer

... formou-se no rádio, produzindo e apresentando programas musicais e continua levando a vida numa boa, dando aulas de enologia na ABS Rio, ouvindo jazz e bebendo vinho – porque ninguém é de ferro... 

Detalhes

O que você recebe:
1 garrafa X 750ml 

Composição:
Arinto e Chardonnay

Estilo:
Branco

Teor Alcoolico:
12%

Safra:
2009

Mais sobre a Colinas de São Lourenço:

A produtora foi criada em 2001, pelo empresário Sílvio Cerveira, a fim de restabelecer a produção de vinhos de qualidade na região de Bairrada, em Portugal. A adega da produtora está localizada no centro da cidade de São Lourenço do Bairro, uma modesta propriedade construída no perímetro urbano. As vinhas estão situadas nas colinas de São Lourenço do Bairro (daí o nome) e compreendem um total de 80 hectares, divididos entre o cultivo de variedades tintas (85%) e o restante de uvas brancas. Além de cultivar castas autóctones portuguesas, a vinícola também se dedica às principais variedades internacionais.  

Outras Fontes:

http://www.idealdrinks.com/