CADASTRE-SE AINDA HOJE E GANHE R$10*

Mauricio Szapiro e Erik Nako,
curadores de vinho e gastronomia

Aproveite os melhores vinhos e produtos gastronômicos do mercado, selecionados por chefs e sommeliers tão apaixonados pela boa mesa como você.


Quero me cadastrar

Já é cadastrado?
Faça seu login

oferta
(11) 3090-6073 / (21) 4042-2446 - Seg. à Sex. das 10h às 19h

Antonio Dias Tannat 2009

De R$ 48,90 por Preço Exclusivo para cadastrados
CADASTRE-SE

Antonio Dias Tannat 2009

Alto Uruguai, Rio Grande do Sul • Brasil

Um Tannat de respeito

De R$ 48,90 por



ESTA OFERTA ESTÁ ENCERRADA
Cadastre-se hoje, ganhe R$ 10 de créditos


Com a palavra, o sommelier:

O conceito dos chamados “vinhos de boutique” ou "de garage", como preferem os franceses, está ligado antes de tudo à pequena propriedade e à baixa produção. Implica também em cuidados especiais com o vinhedo, como a poda verde, em que se retiram folhas para permitir uma maior exposição das uvas ao sol e até cachos em início de formação, para dar mais concentração aos que permanecem no pé. Baseia-se ainda em práticas enológicas politicamente corretas, como a máxima restrição ao uso de conservantes, tipo anidrido sulfuroso. Certamente que isso não basta para produzir bons vinhos, mas reflete uma preocupação do produtor com a qualidade do produto e, por tabela, angaria a simpatia do consumidor pela casa.

Criada em 2004, a vinícola Antonio Dias fica no município de Três Palmeiras, na região conhecida como Alto Uruguai – que, aliás, não está nada perto do país platino, e sim ao norte do Rio Grande do Sul, a uns setenta e cinco quilômetros de Chapecó, portanto quase na fronteira com Santa Catarina. – Tem apenas cinco hectares de vinhedos, dos quais 1,1 hectare de Tannat; e uma produção que não passa de 1,33 garrafa por planta, o que a caracteriza como uma autêntica “vinícola de boutique”.

Em termos de cultivo da videira, a região do Alto Uruguai é bastante diferente da Serra Gaúcha, de onde vem a maioria dos nossos vinhos. Tem um relevo de coxilhas, solos com boa drenagem, pedregosos e de média fertilidade. Devido à proximidade do Rio Uruguai – de onde vem, agora sim, o seu nome – o ciclo da videira começa alguns dias antes das regiões produtoras tradicionais do sul do Brasil; e a vindima, consequentemente, também acontece algumas semanas antes. Nos meses de janeiro, fevereiro e na primeira quinzena de março, época da colheita das variedades brancas, tintas precoces e tintas tardias, respectivamente, a região é marcada por uma forte estiagem, o que favorece a perfeita maturação das uvas, permitindo a produção de vinhos com alto teor alcoólico natural.

Notas de degustação:

Essa Tannat 2009 da Antonio Dias tem 13,8% de álcool. A cor é de um tom púrpura carregado, característico da variedade e da maceração das cascas por dezesseis dias. Intenso no nariz, exibe um perfeito equilíbrio entre os aromas de frutas vermelhas bem maduras e a madeira muito elegante – passou dez meses em barricas francesas – além de agradáveis notas achocolatadas. A chegada na boca é forte e a acidez, que impressiona a princípio, fica num bom nível depois de alguns minutos de copo; os taninos são de ótima qualidade.

Harmonização:

Há quem aprecie o vinho de Tannat com feijoada. Não deixa de ter sentido, pelas origens dessa variedade, que vem de Madiran, no sudoeste da França. Ali, é comum vê-la acompanhando o cassoulet, prato local tão rústico – e saboroso, diga-se de passagem – quanto a nossa feijoada. Pessoalmente, prefiro o prato nacional com um espumante tinto: os portugueses ficam ótimos. Com um tinto de Tannat ficaria sempre com carnes vermelhas, desde um suculento churrasco – com o qual os vigorosos taninos desse vinho se entendem muito bem – até uma paleta ou costeleta de cordeiro. Se bobear, vou também mocotó. Um conselho: passe para uma jarra de decantação uma meia hora antes de servir. E trabalhe o vinho no copo com paciência, que ele vai ficar ainda melhor.  

Celio Alzer

... formou-se no rádio, produzindo e apresentando programas musicais e continua levando a vida numa boa, dando aulas de enologia na ABS Rio, ouvindo jazz e bebendo vinho – porque ninguém é de ferro... 

Detalhes

O que você recebe:
1 garrafa X 750 ml

Estilo:
Tinto

Safra:
2009

Composição:
100% Tannat

Teor alcoólico:
13,8%

Envelhecimento:
10 meses em barricas de carvalho francês

Mais sobre a Antonio Dias:

Depois de muita pesquisa de solos e climas, Antonio Dias resolveu fundar em 2004 sua vinícola homônima na região de Alto Uruguai, no município de Três Palmeiras, Rio Grande do Sul. A produtora nasceu da paixão pelos bons vinhos, baseado principalmente no conceito de qualidade sobre a quantidade; por isso, trata-se de uma autêntica “vinícolas boutique”, em que todo o processo de elaboração dos rótulos, do cultivo da vinha até o engarrafamento, é feito de forma bastante cuidadosa e seletiva resultando em vinhos muito acima da média da região.  

Outras fontes:
http://www.vinhosantoniodias.com.br/